Introdução ao TAPA

O novo grupo de estudos será voltado à exploração, treinamento e aperfeiçoamento das ferramentas técnicas, vocais e corporais fundamentais na atuação.

Grupo de estudos presencial no nosso galpão: Rua Lopes Chaves, 86, Barra Funda/SP

Período

de 15/06 até 21/09 (12 encontros)

Horários

Quartas, das 19h às 22h

Valor

R$1.100 à vista, ou 3xR$400

Coordenadores
Bruno Barchesi

Estreou nos palcos paulistanos em 2008, com a peça premiada “Cardiff”, texto de Eugene O’Neill, direção de André Garolli (Cia. Triptal). No ano seguinte, com este mesmo espetáculo, participou da mostra internacional “A Global Exploration: Eugene O'Neill in the 21st Century”, realizada no Goodman Theatre, de Chicago.
Desde então, além de atuar em participações em novelas, séries e curtas e longas-metragens, vem trabalhando como ator do Grupo TAPA em diversas montagens, todas com direção de Eduardo Tolentino de Araujo, tais como: “O Amargo Siciliano” (Luigi Pirandello), “De Um ou de Nenhum” (Luigi Pirandello), “As Viúvas” (Artur Azevedo), “Credores” (August Strindberg), “A Mandrágora” (Nicolau Maquiavel), “Doze Homens e Uma Sentença” (Reginald Rose), “O Torniquete” (Luigi Pirandello) e "Jardim das Cerejeiras" (Anton Tchekhov).
Atualmente, também ministra aulas em uma das turmas dos grupos de estudos do TAPA, voltada para atores e não atores que buscam aperfeiçoamento no ofício.

Adriano Bedin

Adriano Bedin formou-se na Oficina De Atores Nilton Travesso em 2006. Integrante do GRUPO TAPA, desde 2007. Recentemente fez parte do elenco de “O Jardim das Cerejeiras”, em cartaz no Teatro Aliança Francesa. Atuou em “O Torniquete” de L. Pirandello, “Anatol” de Arthur Schnitzler, e “12 Homens e uma sentença” de Reginald Rose, com de direção de Eduardo Tolentino de Araújo. Também no TAPA, integrou o elenco de “Esplendidos”, em 2015, texto de Jean Genet e “Amargo Siciliano” de L. Pirandello. Em 2014, com o Grupo Teatralha, restreou “O Homem que Calculava” de Malba Tahan, com direção de Atilio Bari e Mônica Peres. Com o Grupo Das Dores fez “As Desgraças De Uma Criança” de Martins Pena em 2013, e “Pedreira Das Almas” de Jorge Andrade, em 2007 - direção de Brian Penido Ross. Com a Cia Caixa Preta atuou em “O Concílio Do Amor” de Oscar Panizza, direção de Ivan Feijó. Em paralelo ao trabalho de atuação, dirigiu “A Falecida” de Nelson Rodrigues com grupo “Nósmesmos” de Itu e o projeto Teatro e Cultura do NOSSO CLUBE - Teatro VIVO.